A beleza de Grace

Hoje acordei pensando alto, talvez alto demais para os meus padrões, mas quem sabe um dia ainda vou ter uma secretária. Linda, maravilhosa, que saiba guardar segredos; não que eu tenha algo a esconder. Podem até me chamar de machista, mas uma secretária tem de ser bela (Ave Vinícius de Moraes) e se possível vendar os olhos para muitas coisas. Simone de Beauvoir e as feministas que me perdoem.

Uma boa secretária deve ter alguns vícios, ou de escrita, ou atrasos no horário com os cabelos em desalinho – o que talvez não lhe seja lá muito bom, para a sua própria reputação – ou beber depois do expediente pois, tais fatos jamais lhe sonegariam sua personalidade e altivez. Muitos diram aqui que não procuro uma secretária, mas uma amante submissa, pode ser, pode ser, e quem sabe assim o seja. Mas sei que as secretárias – pelo menos a grande maioria – são extremamente profissionais e eu jamais pensaria nelas dessa forma (ou já estou pensando?).

Flores enfeitariam o ambiente de trabalho, rosas para rosas, perfumes de odores maravilhosos, e um bom whiskey para acompanhamento. Secretárias de salto alto e cabelos que lembrem Grace Kelly a andarem nas Faria Lima do mundo, em seus respectivos horários de almoço, sorridentes a alegrar o dia a dia de rotina incansável e aborrecimentos infinitos. Que divindades as protejam; e à professorinha também.