Flores

Flores de plástico são odiosas. Não tem perfume, não possuem a cor da vida, quiçá nos trazem lembranças. Flores de plástico se amoldam a qualquer forma que se queira, não possuem expressão e vontade própria. Não importa onde estejam, na casa, em consultório, ou até mesmo cemitério, elas nada expressam. O máximo que podem nos dizer é que são eternas e, esse aviso de que não são efêmeras e passageiras é contrário ao sentimento da vida. Tentar excluir da vida, o nascer, o viver e o morrer, esta será simplesmente causa de aflição, que talvez nem o pior pária ou inimigo possa imaginar. Morrer faz parte da vida, assim como o ciclo das flores naturais. Flores de plástico são o próprio desprezo pelas coisas em sua forma original.