Entre sair ou não, eis que me surge Lovecraft.

Sempre gostei muito de sair. Mas isso era antigamente, moço, solteiro e sem muitas preocupações. Hoje em dia prefiro ficar em casa. As baladas e badalações, já não me animam tanto, a ponto de deixar o aconchego de uma cama bem quentinha junto de um livro.

O único problema – e talvez o maior de todos – é que quando se fica em casa, com a cabeça vazia, pode-se ter certeza que a encrenca é certa. Passei o último final de semana em casa. Sentimentos ambíguos foram se formando, mas eis que na lembrança me surge H.P.Lovecraft.

Apesar de Lovecraft me parecer um pouco exagerado em suas estórias, ler um pouquinho o Necronomicon, me fez passar um domingo agradável. Coisa de louco, poderiam pensar alguns, mas entre o desejo de não sair, e a companhia de Howard, esta me foi mais do que suficiente e aprazível.