Talvez seja melhor assim

Digam o que quiserem, mas toda perda é sempre difícil. Não me refiro aqui à uma perda que possa ser ocasionada pela morte ou doença, mas a perda de todo material escrito durante anos de vida, devido a um problema no PC. Mas o que se há de fazer? O negócio é começar tudo de novo. Mas talvez seja melhor assim (será?) – pois também não há nada mais nada que se fazer – quem sabe o que reserva o futuro; mas há de se ter coragem e muito boa vontade para se começar do zero novamente.

Como diria Maurice Maeterlinck: “A vida é a perda lenta de tudo o que amamos.” A grande tristeza aqui é que a perda foi rápida, muito rápida, tão insuportável quanto um piscar de olhos em deboche.