Viagem

Luna Baedecker; o movimento de um poema, feito por alguém de nome artístico. Porque nome artístico! Você já tem um nome. mas se quer outro pode ser Mirna Loy ao invés de Mirna Löwy. Pode ser Luiz ao invés de Nelson. Pode ser o nome que quiser, a fantasia de um guia de viagem. Saimos... Continue lendo →

Princípio

No princípio era o verbo. Mas não se sabia da linguagem. No princípio era o uivo. Deu-se o grito. Exclamação. O início do entender e exprimir. Um falou. Um nomeou. Outros falaram. Boire les paroles de quelqu’un. Antes do princípio era uma pedra. Depois pedra marrom, ou cinza, ou branca. Antes do princípio o latido... Continue lendo →

Atraso

Rápido, rápido, não se pode ser tão lento assim nos dias atuais. O mundo hoje precisa de gente esperta e disposta, rápido, rápido. Da próxima vez que chegar atrasado nem precisa bater o cartão de ponto, você é pago para estar aqui na hora e não quando bem entender. Está pensando que isso aqui é... Continue lendo →

Cheiro

Nervoso. O corpo já não reponde mais. Exala mau cheiro; putrefação. Falta de ar. Deita-se na cama a noite para olhar o teto e tentar ver uma esperança não confiável, ela não existe mais. Um vizinho faz barulho, quem é? Eu sei, mas pouco me importo com sua vida cretina. Com certo descuido deixo de... Continue lendo →

Ele já chegou…

Quanto mais se aproxima o Ano Novo, mais ansiosos vamos ficando com as promessas dos novos 365 dias que estão pela frente. Pois bem, o novo ano já chegou, e hoje é seu primeiro dia sendo que ainda dá tempo de rever objetivos. Atire a primeira pedra qual não foi o fumante que disse que... Continue lendo →

Velhice

Pouco ou quase nada existe de bom na velhice, muito menos aquela conversa de que todo velho é sábio. A velhice é uma bebida amarga que se é obrigado a tragar mesmo estando de ressaca. Velhice não vai além de cadeira de balanço, jornais velhos e jogo de damas. Uma das poucas vantagens de ser... Continue lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑